29 agosto 2014

36º Capítulo − Mulher sim, homem não! ✓


   
– Preciso contar-te algo a sós. – Ela olhou-a séria.
− Podes dizer! Não quero ficar de fora. Tal como sabes de mim, eu saberei de ti. − A menina sentiu-se diferente, mas não era essa a intenção.
− Pérola, vai ter com as meninas da cantina, sim? Eu depois conto-te. − A menina percebeu que não foi suficiente teimosa para as convencer. Desceu da cama e bateu a porta de leve. − Eu sonhei... Sonhei... Que a Pérola tinha falecido nos meus braços. Não suportaria essa dor, eu sinto que estou perto deste pesadelo. − Demetria levara as mãos aos olhos para chorar. Nina não era boa para acalmar neste sentido, a única coisa que fazia era abraçá-la de lado e enxugar as suas lágrimas.
− Não sei o que falar ao certo, Demi. Deve ter sido horrível esse pesadelo! Só que precisas ser forte e enfrentar os teus fantasmas. − Ela massajava as suas mãos que agora estavam borradas de rímel.
− Como? − Esta era a dúvida da sua vida.
– Tu vais conseguir encontrar a melhor solução. Só tu saberás, porque só tu sabes a intensidade dos teus problemas. – Nina acariciou a sua bochecha. – E sim, Pérola. Já podes sair de trás da porta!
– Como é que? – Ela ficou pasma. Como Nina sabia que Pérola estava lá?
– Menina, eu já trabalhei com milhares de crianças. Incluindo-te a ti! – Ela apontou o dedo e a menina riu.
– Meu Deus! Olhem para as horas! Meninas, tenho que ir. – Ela olhou o relógio e levantou-se num impulso.
– Boa sorte! – Ela acenou a mão. Provavelmente, Pérola ficaria aos cuidados dela até ao final do dia. Demetria correu, “voou” até ao carro. Selena matá-la-ia, caso ela a deixasse pendurada. Teria de passar na empresa e depois ir ter com a sua cabeçuda.
Thursday, 06:10 P.M. Divine Art Company, Texas
– Olá, Jéssica! Agora não tenho tempo para falar. Preciso urgentemente de falar com a Jennifer! – Corria quando avistou Jéssica. Jéssica tinha algo a dizer, mas ela não a deixou falar.
– Jennifer. É o seguinte… − Fechou a porta, mas quando ergueu a cabeça para ver Jennifer... A visão foi horrível, ela parou de falar. – Camilla? A faculdade vai bem?
Demilitria? Já foste ao ginásio? – O risinho irritante ecoou na sala. O sangue de Demetria ferveu.
– É Demetria! Não, não fui e nunca irei. Para quê se inscrever nisso se não precisas? Nem tentes vir com a conversinha de “Gordura excessiva”, porque aquilo que eu tenho a mais, tu tem a menos. – Demetria explodiu. Estas pré-discussões vinham de há muito tempo.
– Engana-me que eu gosto! – Ela tomou um gole de uma bebida qualquer que tinha na mão.
– Cresça! Bom, Jennifer. Eu hoje não vou poder ajudar, porque a Selena precisa de mim. Se eu não for, eu morro! – Demetria fez sinal de degolação. Jennifer riu do seu jeito dramático.
– Se não a deixar ir, morres e fico sem sócia. – Jennifer levantou-se da cadeira. – Desculpa, esta é a minha querida sobrinha. Acaba de ser expulsa da faculdade.
– Tia! – Ela deu um gritinho fininho.
– Esta é a paga! Não tens vergonha na cara?! – Jennifer apontou o dedo. Camilla corou levemente.
– Ah! Não é muito de admirar! Não é, Camilla Belle? – Demetria levantou a sobrancelha esquerda.
– Baleia! Vê se seguras a gordura e o casamento! – Camilla colocou as mãos na anca.
– Eu poderia até dizer o mesmo, mas não conseguiste segurar um namoro. Verdade? – Ela olhou de-alto-a-baixo e mandou beijos para o ar a Jennifer. Bateu a porta de leve.
– Menina de Deus! És louca! Imagina estar lá um assaltante e tu entrares sem saber!
– Claro! O assaltante vinha até à recepção dizer “Estou ali na sala tal. Por favor, diga para não interromper!” – Ironizou enquanto acelerou os passos até à entrada.
– Demetria! Tu percebeste! Não interessa se não faz sentido! – Acelerou os passos para acompanhar Demetria.
– Agora não dá para voltar atrás! Beijos e até amanhã! – Demetria saiu porta fora. Jéssica ficou lá, travada, ainda a pensar no assunto.
Thursday, 06:22 P.M. Gomez’s House, Texas
– Quem é? – Mandy abriu a porta.
– Olá, Dª Mandy! Que saudades! – Demetria abraçou-a.
– Tu nunca mais apareceste! A Sel passa quase o dia todo fora, por conta da faculdade. Ela nunca mais me falou de ti. Quer dizer, fala, mas daquelas memórias de há dois séculos.
– Típico da Selena! – Demetria revirou os olhos. – Ela já chegou?
– Sim! Está no banho. Deve estar quase a sair! – Mandy apontou para as escadas com a cabeça. Demetria subiu as escadas aos saltinhos. Abriu a porta e não encontrou ninguém. Sentou-se na cama. Selena abriu a porta da casa de banho e gritou:
– Demetria! Queres mesmo vingança, hã? Olha o meu coração de pobre adolescente! – Ela colocou a mão sobre o peito.
– Olha o drama! Devias ter visto a tua cara! Foi hilário! – Demetria ria desesperadamente da cara de assustada que Selena tinha feito.
– Não tem graça! Ajuda-me a escolher a roupa, já! – Selena fez cara de indiferença e girou os calcanhares até ao armário.
– O que queres vestir?
– Roupa! – Ironizou. Demetria mostrou a língua. – Sem brincadeiras! Algo elegante e especial, sabes? Eu quero que ele caia aos meus pés!
Claro! – Na verdade, ela não sabia. − Mostra-me os vestidos mais bonitos que tens no teu armário. − Selena pegou em quatro vestidos. – Hum… demasiado curto… Demasiado tapado… Demasiado colorido e melhorou este último.
– Este com decote até ao fim do Mundo e rendado? Demetria! Não achas que ele vai pensar que eu sou uma vagabunda? – Colocou as mãos na cintura.
– Vais parecer, mas achas que os homens reparam? Mulher sim, homem não!
– Sim! Se ele falar isso de mim ao Joe, vais pagar! – Ela ameaçou Demetria.
– Sim, sim! O que andas a estudar na faculdade? A tua mãe disse que andavas da casa para a escola e da escola para casa. – Demetria empurrou Selena para o armário para vestir o vestido.
– Ando em representação. Lembras-te quando nos inscrevemos no Clube de Representação, na escola?

“Havia panfletos nas paredes da escola inteira. Era sobre um novo clube que iria haver na escola.
– Selena Mari… − Demetria correu na sua direção com um panfleto na mão.
– O que fiz desta vez? – Ela protegeu a cabeça com as mãos. Quando Demetria a chamava assim era, porque provavelmente havia bomba.
– Que eu saiba, nada! – Demetria ficou de pé atrás. – Olha para isto!
– Um papel com informações? Demi, é impressão minha ou a tua lerdice piorou?
– Sel, és muito burra! É o novo clube de representação! – Os seus olhos brilhavam.
– Ótimo! Espera, nem penses em que também vamos! – Selena não gostava do mundo da representação, porque não fazia sentido para ela.
– Por favor! És a minha melhor amiga! – Ela abraçou-a durante alguns minutos.
– Okay, nós vamos! – Selena acabou por ceder e Demetria puxou-a para fazerem as inscrições.”

– Quem diria que te apaixonarias deste jeito pela representação! – Demetria olhava para as unhas.
– A culpa é tua! Tu que me levaste para lá! – Selena ajeitava o vestido. Ela queria puxá-lo um pouco mais para cima, de modo a não ser tão vulgar.
– Para de puxar isto para cima!
– Estás aí à quanto tempo mesmo? – Selena assutou-se.
– Há quanto tempo estás a puxar isso para cima? – Demetria respondeu. – Vem cá!
– Não, Demi! – Ela hesitou, mas claro que Demetria não queria saber. – Uau! Nem ficou assim tão mau!
– Eu sabia, nem precisas agradecer. – Ela gabou-se
– Acorda, Demetria! – Ela deu-lhe uma batida de leve na cabeça. – Preciso de um batom e de sombra preta!
– Aqui tens. – Ela tirou-os da bolsa e deu a Selena. – Adivinha que eu vi na Divine Art?
– Hum… Jonhy Deep?
– Não, a Camilla Belle.
– O que ela queria? Vinha te procurar? – Ela passava a sombra cuidadosamente.
– Ela é sobrinha da Jennifer, está aos cuidados dela. A Camilla acabou de ser expulsa da faculdade.
– Hum, se as coisas que ela aprontava no Liceu já eram de loucos, imagina na Faculdade?
– Deve ter sido de loucos, mesmo! – Demetria concordou. – Acabou?
– Sim, acabei. Demi, o meu coração está tão acelerado! Antes estava tão calma! – Selena estava ansiosa, nervosa para aquele encontro. Demetria sorriu e abraçou a amiga, sentindo o seu perfume.
– Selena, lembras-te de quando estás feliz, eu sorrio? Vai tudo dar certo, porque eu estou a sorrir! – Ela sussurrou ao seu ouvido. – Vamos? – Ela acenou um “Sim” tímido com a cabeça. Demetria deu a mão a Selena e desceram as escadas. Mandy estava na sala de costas.
– Sel, querida. Vais sair... – Mandy virou-se e ficou de queixo caído. Fazia tempo que a filha não saía ou vestia algo tão atrevido. – Selena, estás divinal! – Elas entreolharam-se.
– Sim, vou sair com o Nick.
– Eu sabia, afinal quem não sabia? Boa sorte, filhinha! Eu sei que vocês se vão casar e logo terei alguém a correr pela casa a chamar de “Avó”. – Ela já sonhava com esta hipótese, mas já fazia tempo que desejava isto.
– Mãe! Vou só sair, sim? Ninguém falou em namoro. – Selena assustava-se com os sonhos loucos de Mandy. – E obrigada, mãe! Eu vou acompanhar a Demi até ao carro e volto já! – Demetria e Mandy despediram-se. As duas foram até ao carro.
– Telefona assim que saires do encontro, sim? – Demetria abriu o vidro do carro.
– E se forem 05 da manhã? – Ela tremia.
– Não importa.
– E se acordar o Jonas?
– Começa a treinar para ser médico! – Ela beijou as suas mãos. – Boa sorte, Sel.

Continue…
:(

Beijos.

4 comentários:

  1. Mal vejo a hora de ler o próximo capitulo.
    Estou esperando o Jemi Moment em...
    Posta logo, por favor.
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em breve, em breve c:
      Ele virá não tarda! Não perca as esperanças kkk
      Segunda, não perca!
      Beijos, Gata!

      Excluir
  2. PERFEIÇÃO.
    Desculpa a demora para comentar, mas como estou péssima na escola
    não estou tendo tempo para entrar no blogger <3
    Enfim ... Está perfeito mulher de Deus.
    Posta logo e hein aceito sim a afiliação <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ^_^
      Não há qualquer tipo de problema, girl! Eu comecei a escola na segunda, por isso se eu já postava quando o Rei fazia anos, imagina agora -.- ?
      Obrigada novamente >.<
      Vou tentar postar hoje ou amanhã! Sim, eu te coloquei!
      Beijos, Gata

      Excluir