09 agosto 2014

33º Capítulo – Só que precisas ser forte, por ti e por ela. ✓


Esse cabelo foi um dos melhores, não?

Thursday, 09:24 A.M. In The Street, Texas
− Esta tua família é uma caixinha de surpresas, hã? – Liam limpou-lhe as lágrimas.
– Ainda não viste nada.
– Espero que mais dessas não aconteçam. Porque fica é miuito constrangedor. Tipo, o teu padrasto é o machão preconceituoso, a tua mãe é do tipo arrependida e a Dallas é a arrependida, porém no fundo ambas têm um coração manteiga derretida.
– É bom ter de novo aqueles que amavas odiar, mas agora são apenas os que amas amar. – Demetria deu um meio sorriso bem tímido.
– Deve ser mesmo. Foi ótimo viver essas emoções todas pela manhã, mas tenho planos. – Ele disse colocando a mão no ombro de Demetria.
– Não queres uma boleia/carona?
– Obrigada, mas o lugar onde quero ir não fica muito longe. Eu acho… − Ele riu e despediu-se dela, já ela, continuou até chegar ao seu carro.
Thursday, 09:34 A.M. Orphanage, Texas
– Olá, Demi! Podes cá vir? – Nina gritou do meio do corredor.
– Olá! O que queres? Fui descartada? – Esse era um pesadelo recente, porque talvez Pérola tivesse uma ligação com ela além de “amigas”.
– Credo, menina! Óbvio, que não! É sobre a Pérola. – Nina riu, porém rapidamente mudou a sua expressão. – Sabes que ela tem leucemia? – Ela acenou um “sim” com a cabeça. – Está difícil de encontrar um dador, ela poderá morrer. – Demetria levou as mãos ao rosto, num gesto de “Não é possível”. − Lamento imenso. – Nina pousou as mãos nos ombros dela.
– Isso é uma brincadeira, correto? Ela não vai morrer! – Ela nem podia acreditar que a sua menina estava em risco de vida. Ela gritara baixo para Nina.
– Não, Demi. Antes fosse uma brincadeira. Só que precisas ser forte, por ti e por ela. – Ela abraçou-a. – Vai lá, que ela já está à tua espera.
O coração dela continuava a sangrar e a chorar baixinho. As lágrimas insistiam em cair automaticamente. Acelerou os passos em direção ao quarto. Quando alcançou a porta, parou para limpar os rastos de lágrimas.
– Demi! Quantas saudades! – Correu na sua direção abraçando as suas pernas morenas.
− Olá, minha pequena. Sentes-te bem? – Ajoelhou-se para ver a sua cara delicada e pequena.
− Um pouco cansada, só. O teu rosto está vermelho e inchado. Magoaste-te?
– Não! Foi apenas uma coisa que me deixou triste, muito triste… Vamos até lá fora? – Fugiu do assunto, longe da vista longe do coração.
– Agora? Neste momento? Nós duas lá fora de manhã?! – Esta ideia era bem fresca, ela estava habituada à rejeição, humilhação…
– Óbvio, menina Pérola. – Demetria pegou-a ao colo. Atravessaram o corredor. Tudo parecia normal demais, já ninguém olhava, talvez eles nunca olharam demais. Era um medo, uma insegurança que possuía. Abriram a porta e puderam ter a visão do jardim. A relva devia ter sido recentemente cortada. Ela pousou-a na relva verde e fresca. – Vamos nos sentar naquela sombra da árvore? – A menina acenou um “sim” seguido de um sorriso.
– É bom cá estar! Magnífico, acho que devíamos fazer isto mais vezes, Demi. Já te sentiste assim? – Pergunta inocente com resposta realista. Não, não resulta.
– Sim, devíamos fazê-lo mais vezes. Sim, já estive numa situação parecida, mas tu és pequena para perceber, sim? – Demetria acarinhou o seu rosto. A menina concordou sem entender Demetria. – Porque não vais brincar com aquela menina? Ela está sozinha.
− Vou tentar. – A menina levantou-se timidamente. Aquela imagem fazia Demetria pensar na partida da menina. Deixou que as lágrimas vencessem agora, enquanto nada nem ninguém via. Orgulho? Não, ela só não queria que a questionassem sobre a causa da dor. O maldito telemóvel/celular começou a tocar no bolso de trás dos seus jeans. A desaparecida que já não ligava ou aparecia mesmo lá em casa, depois do ano letivo ter terminado. Demetria ainda hesitou mas seria muita maldade.
– Demetria Devonne Lovato, necessito da tua ajuda! Ao final da tarde, lá pelas dezoito horas. Eu sei que desapareci e nunca mais voltei e blá blá blá... Pode ser? Por Favorzinho! – Ela nunca mudaria essa mania de falar sem falar depois com uma vozinha de bebé.
– Eu poderia dizer o quanto me fazes falta, sua cadela! Poderia até te maltratar até à morte e isso envolveria discutirmos e odiarmo-nos até à nossa morte. Porém, eu sou uma boa pessoa. Sim, vou-te ajudar. Sabes que trabalho das cinco horas até às nove na Divine Art, não? – Demetria disse-lhe num tom de brincadeira.
– Pois é… Não podes faltar por um dia? Caraças, eu sou a tua melhor amiga! Magoaste-me! – Ela voltou a pedir com voz de bebé.
– Okay, Sel! Depois não te queixes que recebes maltratos. – Demetria avisou-a enquanto Selena lhe desligou o telemóvel/celular na cara.

Continue…
Hi, Gatas! Eu voltei e não sei se vou ficar para sempre. Eu não posso prometer como todas as outras vezes. Eu pareço com o José Sócrates, desculpa gente do Brasil / Estados Unidos /Alemanha / China /Ucrânia / Índia / Turquia / Rússia e Indonésia… Eu vou traduzir. José Sócrates = José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa é um político português. Foi secretário-geral do Partido Socialista, de Setembro de 2004 a Julho de 2011 e Primeiro-ministro de Portugal de 12 de Março de 2005 a 21 de Junho de 2011. (Créditos à querida Wikipédia) Ok, chega de lições de cultura e política, se não as “notas” ficarão maiores que o cap. 
Eu alterei um pouquinho o último cap. Penso que ele ficou uma bosta literal, porque só teve a Ruama a comentar :/ Tenho saudades da Rafaela, cadê você?
Eu tenho estado ocupada com os preparativos do canal, porque tenho de acabar de instalar o editor de vídeo, determinar o local, finalizar o fundo e gravar os 03 vídeos (Video de apresentação/ Cover e um outro vídeo que não posso revelar.)
Meninas, há vagas de afiliação para MUITA gente. Se quiserem é só pedir.
Espero que gostem, eu dei o meu melhor.

Beijos. 

2 comentários:

  1. Senti falta de ler sua fic, posta logo por favorzinho.
    Obrigada por me ajudar flor, assim que você tiver um tempo podemos conversar pelo face.
    Você comentou lá no meu blog, mais ou menos o motivo que você mudou seu nome, gostaria de saber se posso te ajudar em alguma coisa.
    Beijinhos....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Que bom saber que há leitoras que ficam assim ^_^
      Não precisa agradecer, claro. É só dizer quando pode estar lá e falamos
      É, muito complicado. Falamos disso lá no chat, para esclarecer. Okay?
      Beijos, Gata

      Excluir